” Gordos “…os meus heróis!!!

Para quem anda nisto das corridas há algum tempo, não paro de me surpreender com a força de vontade e motivação de certas pessoas que dum dia para o outro alteram as suas rotinas, com um sacrifício enorme, e atravessam aquele deserto infindável de quem inicia as caminhadas. O corpo dói em todos os recantos…as articulações gritam, as costas rangem, os pés incham, os pulmões não admitem mais esforço! A iniciativa de passar do sedentarismo para a actividade física é dura. Não vale a pena mentir. O nosso cérebro inventa mil e uma desculpas para não começarmos. Fomos desenhados para nos adaptarmos ao ambiente onde estamos inseridos. E se o ambiente é de sofá…o nosso corpo adaptasse com a melhor das facilidades. E por isso, quando o nosso corpo é obrigado a sair da sua zona de conforto, a primeira coisa que a nossa mente faz é arranjar estratégias para que voltemos ao ponto de partida.

Qualquer um de nós já passou por aquela fase em que éramos crianças, andávamos na escola primária, e na nossa turma havia o gordinho! Aquela criança que parecia diferente. E na realidade era diferente. Infelizmente a tendência nos dias de hoje está a inverter-se. Isto é, poucas crianças magras dentro das salas de aula. Mas na altura, até esfregávamos as mãos quando tínhamos uma criança com quem podíamos gozar à vontade, porque era diferente. No recreio, os gordinhos não jogavam futebol, ou na melhor das hipóteses, iam à baliza…

Voltando à conversa das corridas, e porque corro muitas vezes no percurso em Leiria que denominamos ” Polis “, existem centenas de pessoas a circular. Uns caminham, outros correm. E é duma franja ínfima desses que caminham de que vos quero falar: os gordos…aquelas pessoas que infelizmente não nasceram com o metabolismo regulado, e que por mil e uma razões terão sempre que se esforçar o dobro ou o triplo para, pelo menos, manterem uma composição corporal aceitável. Eu tive imensa sorte, e acreditem que é mesmo sorte, em ter nascido magrinho e com corpo atlético. Rapidamente entro em forma, o meu corpo responde com facilidade a algumas mudanças de ritmo. Sinto-me um privilegiado. Mas estas pessoas, que para além de todas as condicionantes, para além de todos os possíveis bullings pelos quais tiveram de passar na sua infância, para além de terem que comprar roupa especial e diferente, para além de não poderem deliciar-se descontraidamente a comer uma refeição calórica sem pensarem nas consequências quase imediatas que aparecem no seu corpo…para além disso tudo, ainda têm que atravessar o tal deserto infindável para corajosamente iniciarem a sua caminhada para uma vida mais saudável.

Bastaria fazermos o exercício de calçarmos 5 pares de meias, colocarmos uma cinta à volta da cintura com 10 quilos, colocarmos uma mochila com mais 20 quilos às costas…e tentarmos caminhar durante 20 minutos. Talvez depois dessa experiência tenhamos alguma noção daquilo pelo que têm que passar estas pessoas para conseguirem queimar meia dúzia de calorias. Por isso, para mim, mais do que um super atleta, mais do que um campeão nacional ou internacional, os meus verdadeiros heróis são aqueles seres humanos com quem eu, quando era criança, gozava por serem gordos e que lutam a vida inteira para serem pessoas saudáveis. Os meus heróis são aqueles com quem eu me cruzo nos meus treinos e vejo o seu brilho nos olhos por conseguirem passar da caminhada para a corrida. O seu excesso de peso não os impede de lutarem, o seu metabolismo não os impede de deitar para o lixo todas as desculpas que o seu cérebro inventa para ficarem em casa. A minha admiração vai para eles. Este artigo é dedicado ao seu esforço, à sua dedicação, à sua coragem!!!

8 thoughts on “” Gordos “…os meus heróis!!!

  1. Muito bom texto e uma excelente homenagem a quem se esforça duas ou três vezes mais para chegar ao mesmo ponto que outros, os quais chegariam com mais facilidade, mas que não desistem, enfrentando todo um mar de tormentas diariamente.
    Também eu tive colegas gordos, também eu em algumas alturas gozei com a sua forma física (ou falta dela), também eu lhe presto a minha homenagem pela coragem e determinação.

    Obrigado pelo texto.
    Boas corridas.

  2. Parabéns pelo blog e pelo texto. Vi-o no Fb, num grupo de TRAIL e vim até cá ler o artigo… hoje no final de 2014 posso dizer que já não sou gordo. Com 1,78m e actualmente com 79 kg o orgulho de ja não ser gordo é enorme. Quando comecei esta odisseia tinha 120kgs e estava de facto grande…e gordo… até a apertar os atacadores a barriga estorvava. Foram vários os motivos que me levaram aquele estado…mas foi a corrida que me permitiu sonhar em perder peso. Foi o gosto por este exercício, motivado pelas pessoas certas e pelo objectivo de passar a ter saúde que sempre me ajudaram a sair de casa, mesmo quando o sofá gritava por mim. Não é fácil ! Demorou tempo e trabalhei muito…mas o prazer de correr era sempre superior. E quando vou a uma prova/treino em trilhos, então o prazer é ainda maior. Para mim, nada como correr na natureza. O que posso dizer a todos os que se revêem no peso que eu tinha ou no excesso de peso, é que se eu consegui, todos conseguem. Ainda hoje penso que terei que continuar a correr para não engordar, pois esse fantasma parece estar ainda tão perto…mas como correr é um prazer, sei que vou continuar a fazê-lo e a desfrutar cada vez mais… Todos os que lerem este texto acreditem que serão no futuro os herois de vocês próprios…pois com trabalho os resultados aparecem SEMPRE. Suem, chorem, gritem, usem toda a raiva que está aí dentro, transformem a frustração em energia. O corpo vai encarregar-se através das endorfinas de transformar a dor em prazer. Utilizem o peso como objectivo para sair e fazer exercício. Não tem que ser corrida, pode ser qualquer exercício. Fica tão bem podermos usar a palavra ex-sedentário. Façam-no acima de tudo por vocês e para ter mais saúde. Herois de nós próprios…é do melhor🙂

  3. Excelente texto, com o qual me identifico a 100%. Sendo uma dessas pessoas que tiveram o grande azar de nascer com um péssimo metabolismo, sei bem o que me custou há 4 anos atrás levantar-me do sofá e deixar de ser sedentária. Passados 4 anos já lá vão 30kg e a aprendizagem de que vou sempre ter que me esforçar um bocadinho mais que os outros. Se me encontrar por aí, eu sou aquela pessoa que vai com um brilho no olhar apenas por ter conseguido terminar mais um trail! =)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s