Os Deuses devem estar loucos!!!…

Olhar para a televisão nos dias de hoje é de gritos! Agora o Chipre também quer ser resgatado, mas parece que vai ser a Rússia a emprestar dinheiro e não a União Europeia. O desanimo em relação à política tem sido tão grande que deixei de ler artigos de opinião, deixei de ver as notícias até ao fim. Acho que já ninguém consegue perceber ao certo no que tudo isto vai dar. E viver num mundo onde vamos vendo a degradação constante do ambiente que nos rodeia é no mínimo assustador.

Existem no entanto pequenas ilhas de esperança que, lutando contra a terrível falta de qualidade dos protagonistas que mandam no país e na Europa, mostram que o universo é feito de oportunidades. E elas existem! Mesmo quando o mercado está literalmente de rastos. Aliás, eu até acredito que está para surgir uma nova economia, com empresas familiares que arrancaram do zero. Que arrancaram porque perceberam que a sociedade necessitava de determinado produto ou serviço e foram, pé ante pé, construindo um novo caminho sustentável.

Os Deuses devem estar loucos! Começam a ser tantas as histórias de corrupção, compadrio, irresponsabilidade e incompetência que há dias que fica difícil encontrar esperança. Mas há outros dias que parece que o Sol brilha e nos ilumina o caminho… É assim que a minha geração hoje vive. Com o coração nas mãos. Num dia olhamos em frente e percebemos que podemos caminhar com segurança. Noutros dias queremos entrar dentro dum bunker e esperar que a tempestade passe. Nenhuma sociedade se constrói baseada na insegurança. Sim, tudo bem que não podemos viver na zona de conforto, que não se servem almoços grátis, que não existem empregos eternos, que temos que ser mais produtivos, blá, blá, blá! Mas olhamos para sociedades mais evoluídas e nenhuma chegou ao nível que chegou à custa de perseguições, de insegurança, de desconfiança ou com convites para ir trabalhar para outro país.

Se compreendo que o país necessita que lhe passem uma esfregona gigante por cima para limpar tantos resíduo que por aí andam, até posso compreender. O que não percebo é que estamos a ser liderados por uma pessoa que veio de representar a juventude, e é o primeiro a defraudar essa mesma juventude de qualquer esperança para avançar. Nem todos têm espírito de empreendedorismo, nem uma economia vive só de empresários. É nesta miscelânea de perfis de cidadãos que supostamente se vive de forma equilibrada. Uns manda, outros fazem. Uns projectam, outros constroem, uns fazem cálculos, outros arregaçam as mangas e soam. Mas garantidamente sem esperança, não há economia. Tenho muita pena que a minha geração viva sem esperança. Tenho muita pena que a minha geração viva sem economia. Precisamos das duas coisas. Mas precisamos doutro líder, mais humano, mas também exigente. Que nos mostre o quanto somos bons naquilo que fazemos se trabalharmos muito e bem. É possivel fazê-lo porque os outros fazem-no noutros países e nós somos um povo magnífico, cheio de qualidades. A esperança é o ouro da sociedade. A esperança é o pão que nos alimentará o espírito para acreditarmos que os nossos filhos poderão viver num país melhor por nossa causa, por aquilo que nos fez levantar todos os dias e ir à luta!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s